Postado em 10 de Agosto de 2018 às 15h47

Comissionados custam um “Elevado da Sadia” por ano

Cleiton Fossá Chapecó – A prefeitura de Chapecó assinou no dia 8 de agosto financiamento de R$ 15 milhões, junto à Caixa Econômica Federal, para a construção do “Elevado da...

Chapecó – A prefeitura de Chapecó assinou no dia 8 de agosto financiamento de R$ 15 milhões, junto à Caixa Econômica Federal, para a construção do “Elevado da Sadia”, no entroncamento das avenidas São Pedro, Atílio Fontana, Leopoldo Sander e Contorno Viário Oeste. O Projeto 190/2017, aprovado pela Câmara em 18 de dezembro de 2017, autorizou o financiamento. A liberação de recursos ocorrerá em 13 parcelas, iniciando após o período eleitoral. O financiamento terá carência de 24 meses para início de amortização, que ocorrerá em 96 meses.

Na tribuna da Câmara, o vereador Cleiton Fossá falou sobre a demora no processo de construção do Elevado, obra muito importante para a mobilidade urbana de Chapecó. Ele lembra que a obra foi anunciada na campanha eleitoral ainda em 2012, e prometida novamente na eleição de 2016, junto com a duplicação da avenida Leopoldo Sander, mas que até o momento somente uma alça foi feita, com justo de R$ 5 milhões, do Fundo Social do Governo do Estado, em terreno doado pela BRF. Os R$ 15 milhões são para as outras três alças e para o próprio elevado.

Conforme Cleiton Fossá, os problemas alegados pela prefeitura de Chapecó para o atraso da obra, como a adutora de esgoto, postes de energia e o pagamento de indenizações, são desculpas. O verdadeiro motivo, aponta o vereador, foi a falta do decreto de interesse social para agilizar as desapropriações. E ainda, embora a Câmara tenha autorizado o financiamento em dezembro de 2017, a prefeitura só conseguiu acessar os recursos agora devido a estar inadimplente, no primeiro semestre deste ano, conforme dados do Relatório de Gestão Fiscal (RGF).

O financiamento de R$ 15 milhões para a obra do Elevado, denuncia Cleiton Fossá, é o valor gasto anualmente somente com cargos comissionados pela administração municipal. De acordo com o último dado disponível no Portal da Transparência, em 7 de agosto, são 243 comissionados, inclusive, muitos sendo parentes de vereadores. “A população precisa saber destes dados. A prefeitura alega não ter recursos próprios para fazer as obras, mas possui dinheiro para pagar muitos comissionados. Não concordo com isso e seguirem denunciando”, diz.

 

Bruno Pace Dori, Assessoria de Comunicação Cleiton Fossá

Veja também

Transporte coletivo: novela não tem fim em Chapecó15/05/18 Chapecó – A demora no processo licitatório do transporte público coletivo de Chapecó, que se arrasta desde 2010, tem impactado diretamente nos usuários do sistema. Atualmente, mais de 70 mil pessoas utilizam diariamente ônibus no município, mas o transporte é prestado de modo precário, uma vez que o contrato com as duas empresas que prestam o......
Parcelas de R$ 300 são regulamentadas no auxílio emergencial17/09/20        A prorrogação do Auxílio Emergencial foi oficializada pelo governo federal e Ministério da Cidadania. Pela nova regra, as próximas quatro parcelas serão pagas ao valor de R$ 300. O......

Voltar para NOTÍCIAS