Postado em 05 de Maio às 14h30

O impacto da quarentena na saúde mental de jovens e adolescentes

Cleiton Fossá | Vereador Dois estudos internacionais, das organizações Shout e YoungMinds apresentam dados que confirmam que o surgimento do novo coronavírus tem afetado a saúde mental de adolescentes e jovens que...

Dois estudos internacionais, das organizações Shout e YoungMinds apresentam dados que confirmam que o surgimento do novo coronavírus tem afetado a saúde mental de adolescentes e jovens que já apresentavam problemas antes da pandemia.

De acordo com a Shout, serviço de mensagens de celular 24h para pessoas em crise, nos últimos dias, mais de mil conversas foram iniciadas. Cerca de 70% destas pessoas tem menos de 25 anos

Nas mensagens, o assunto coronavírus representa 25% das conversas do dia. Dos atendimentos relacionados ao coronavírus, 60% está ligado a sintomas de ansiedade.

A pesquisa do instituto YoungMindis, também evidencia os fortes efeitos na saúde mental dos jovens na pandemia. A maioria que respondeu a pesquisa relatou aumento da ansiedade, apresentando problemas para dormir, ataques de pânico ou por exemplo, sentir maior vontade de se cortar.

São vários os fatores que influenciam a saúde mental dos jovens. Podem variar de pessoa para pessoa. Mas em geral, devido às mudanças na rotina, cancelamento das aulas e provas têm complicado a vida de muitos.

Além disso, sem sair de casa, estar com amigos e familiares, viajar e ir a festas e parques, os adolescentes e jovens inseridos neste cenário, sentem que perderam sua liberdade. Este fator os afeta.

 

Como lidar com os impactos da doença

Alguns relatos demonstram quais são os sintomas sentidos devido às alterações na rotina. Ao portal da BBC News, a jovem de 21 anos, estudante de psicologia, Naomi, relata que o cancelamento de provas e as aulas a distância motivou o sentimento de insegurança quanto ao curso.

Antes da pandemia a jovem realizava um trabalho voluntário o que a ajudava a controlar a ansiedade. Hoje ela utiliza como solução a prática de escrever seus pensamentos e sentimentos em um diário.

Já para a adolescente de 13 anos, Chloe, que tem déficit de atenção e ansiedade, desde que as escolas fecharam e não há possibilidade de estar com seus amigos, o seu humor tem piorado.Consequentemente os sintomas de ansiedade também.

Para enfrentar esta situação é essencial o senso de comunidade e solidariedade. Além disso, outros cuidados podem ser tomados em casa.

Como manter contato com as outras pessoas, falar, ouvir e compartilhar histórias e conselhos. Entender o que você gosta de fazer e o que o deixa melhor.

Moderar a leitura de notícias. Também é necessário manter uma rotina saudável que envolve prática de exercícios e conciliar o tempo para realizar tarefas e para lazer.

 

 

 

Para outras informações e sugestões, você pode entrar em contato através do WhatsApp, ou pelas redes sociais Facebook e Instagram.







Assessoria de Comunicação Vereador Cleiton Fossá

  • Cleiton Fossá | Vereador -

Veja também

Orlando Sanches: uma vida dedicada ao encanto da música07/09/18 Chapecó – Os tons de pastel e rosa claro relembram as cores que caracterizavam os estabelecimentos antigos, muitas vezes registrados em fotografias ou reproduzidos nos cenários das novelas de época. Estruturas que com o passar do tempo se tornam precárias, mas que são testemunhas da história. Logo, valores éticos, morais e principalmente culturais,......
Cleiton Fossá apresenta emendas na lei orçamentária07/11/18 Chapecó – A Lei Orçamentária Anual (LOA) de Chapecó para 2019 já está tramitando na Câmara de Vereadores. Para o próximo ano, a previsão é de um orçamento público de R$......

Voltar para NOTÍCIAS