Postado em 06 de Setembro de 2013 às 17h26

Fossá critica gastos com publicidade

Publicidade (3)Gastos (3)Cleiton Fossá (314)Chapecó (304)
Chapecó - Após a cassação do prefeito de Chapecó, José Caramori, por exceder o limite permitido durante ano eleitoral com gastos com publicidade, o vereador Cleiton Fossá lembra que em maio apresentou na Câmara de Vereadores requerimento pedindo informações sobre o edital para contratação de empresa especializada em prestação de serviço de publicidade e propaganda, mas o pedido foi rejeitado pelos vereadores da base do governo Caramori. Na opinião de Fossá, a recusa em fornecer as informações demonstra que o executivo municipal não dá transparência ao processo. Ainda, diz que a publicidade deve ser institucional, com o intuito de prestar informações sobre os atos da prefeitura, e não com o objetivo de fazer propaganda pessoal, como recentemente a bancada de oposição denunciou Caramori, João Rodrigues e secretários municipais por promoção pessoal, ao utilizarem indevidamente a página oficial da Efapi 2013. Valores Nos primeiros seis meses de 2012, a prefeitura de Chapecó gastou R$ 5.421.092,24, ou seja, aproximadamente R$ 900 mil por mês. Fossá diz que segundo o processo seletivo para contratação de médico para Chapecó, de abril, o vencimento de um médico especialista de 20 horas é de R$ 4 mil, e um exame de ressonância magnética custa, em média, R$ 500. 'Ou seja, daria para contratar 225 médicos ou realizar 1.806 exames de ressonância por mês', comenta. 'A cassação cabe recurso, pode mudar a decisão, mas os mais de R$ 5 milhões do povo gastos em publicidade não voltam', finaliza Fossá.

Veja também

Sem avanços para o consumidor, Casan tem contrato renovado em Chapecó08/07/15 Chapecó - A Câmara de Vereadores realizou na segunda (6) e terça (7) duas sessões extraordinárias para apreciação do projeto 89/15, que autoriza o poder executivo a firmar novo contrato com a Casan. Na primeira votação, o vereador Cleiton Fossá apresentou emendas ao projetos. Essas emendas impediriam que o serviço de concessão da Casan fosse privatizado, permitiriam ao consumidor pagar apenas pelo que consomem de......

Voltar para NOTÍCIAS