Postado em 16 de Abril de 2018 às 14h38

O interior de Chapecó precisa de melhores estradas

Cleiton Fossá | Vereador Chapecó – A constante reclamação de moradores do interior de Chapecó, a respeito das péssimas condições das estradas e vias, fez com que o vereador Cleiton...

Chapecó – A constante reclamação de moradores do interior de Chapecó, a respeito das péssimas condições das estradas e vias, fez com que o vereador Cleiton Fossá volte a cobrar maior atenção ao problema. A situação é reforçada por pedidos feitos por empresários e profissionais que precisam realizar entregas ou transporte de cargas e produtos agrícolas. “As más condições das estradas prejudicam não apenas a população que reside no interior, mas a própria economia local”.

Em ofício à Secretaria de Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente, o vereador apresentou pedido de melhorias em várias comunidades do interior de Chapecó. Cleiton Fossá solicita patrolamento e cascalhamento nas estradas principais e ainda nas vias secundárias de diversas comunidades, todas importantes economicamente para o município, devido à produção agrícola, especialmente em setores essenciais, como a avicultura, bovinocultura, fumicultura, suinocultura e piscicultura.

Conforme o vereador, cerca de 25% das estradas do interior estão em péssimas condições e necessitam de reparos urgentes. “Historicamente, em nossa cidade, a região sul é mais atingida por chuvas, especialmente os distritos de Marechal Bormann e Goio-Ên e as linhas que compõem essas localidades. Devido à ligação com o Rio Grande do Sul, é importante a manutenção constante destas estradas, para o escoamento eficiente da produção agrícola”, explica Cleiton Fossá.

Localidades

O vereador Cleiton Fossá aponta que as vias mais precárias estão localizadas na região do distrito de Marechal Bormann, nas linhas Bom Retiro, Serraria Reato, Nova Aurora e Barra da Chalana; no distrito de Goio-Ên, nas linhas Cachoeira, Almeida, Beira Rio, Gamelão e São José do Capinzal; no distrito de Sede Figueira, nas linhas Tormen, Sarapião, Cascavel, Batistello e Simonetto; e nas linhas Lajeado Veríssimo, São Rafael e das Palmeiras, estas próximas à Reserva Indígena Condá.

Estrutura

O Plano de Desenvolvimento Rural, entregue em 2015, aponta que o maquinário da administração de Chapecó é composto por: três patrolas, quatro retroescavadeiras, dois rolos compactadores, duas carregadeiras, uma escavadeira hidráulica, dois tratores esteiras e 11 caminhões. O sistema adotado de recuperação das estradas é parecido ao da maioria dos municípios. O método consiste em patrolar para realizar o nivelamento, sendo que os pontos mais críticos receberam cascalho.

Solicitação

Não há cronograma pré-definido e público de manutenção das estradas do interior de Chapecó. A agenda é desenvolvida internamente pelo secretário, Valdir Crestani, e por três coordenadores, responsáveis por determinadas regiões da cidade, que vão realizando os serviços conforme a demanda. A orientação é que a população ligue para a Secretaria de Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente (Sedema) para solicitar a manutenção de vias do interior. O telefone é (49) 2049-9118.

O interior

Chapecó possui cerca de 1,2 mil quilômetros de estradas no interior e 15.417 pessoas residindo em área rural, conforme dados do Censo de 2010. Cleiton Fossá lembra que a estrutura fundiária do município está baseada em propriedades com menos de 10 hectares, sendo aproximadamente 40% do total. As principais atividades econômicas são agroindústria familiar, com a produção de milho, soja, feijão, trigo, fumo, frutas e hortaliças; e a produção de proteína, como ovos, carnes e lácteos.

A produção

Em números, o milho corresponde a mais da metade da produção agrícola de Chapecó. De acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), são 142.780 hectares de plantação (53% do total), seguido pela soja, com 58.840 hectares (21,84%); feijão, 30.022 hectares (11,14%); trigo, 25.860 hectares (9,60%); fumo, 3.390 hectares (1,26%); laranja, 3.320 hectares (1,23%); mandioca, 2.131 hectares (0,79%); cana-de-açúcar, 1.463 hectares (0,54%); e arroz, 1.002 hectares (0,37%).

Fator econômico

Segundo os últimos dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2015, o Produto Interno Bruto (PIB) de Chapecó foi de R$ 7.676.794,40, sendo R$ 147.507,28 do setor da agricultura e R$ 1.900.858,51 da indústria. Fossá lembra que grande parte do resultado do setor industrial é movimentado pela produção agropecuária. “A prefeitura de Chapecó precisa priorizar a recuperação das estradas do interior, que são essenciais para nossa economia”, diz ele.

 

Bruno Pace Dori, Assessoria de Comunicação Cleiton Fossá

Veja também

Fossá solicita palco alternativo na Efapi para artistas locais14/09/17 Chapecó - Em pronunciamento na tribuna da Câmara de Vereadores nesta sexta-feira, Cleiton Fossá mostrou seu desacordo com a decisão da administração municipal em não colocar um palco alternativo na edição deste ano da Efapi para que os artistas locais possam se apresentar. Ao contrário das edições anteriores da Feira, em 2017 foram selecionados somente dez artistas de Chapecó, que se apresentarão no palco principal......
Governador lança o edital de ampliação do aeroporto de Chapecó23/02/18 Chapecó – O governador Eduardo Pinho Moreira autorizou, no começo da tarde desta sexta-feira, em Chapecó, o edital de licitação para a construção do novo terminal de passageiros do aeroporto Serafim Enoss......
Fossá busca solução para o Aeroporto de Chapecó17/08/17 Brasília/DF - Verificar o andamento de procedimento de viabilidade financeira para transferir a administração do aeroporto Serafim Enoss Bertaso, de Chapecó, para a Infraero. Este foi o principal objetivo da agenda do vereador Cleiton Fossá em Brasília, na......

Voltar para NOTÍCIAS