Postado em 27 de Junho de 2018 às 08h20

Precisamos cuidar dos nossos rios e das nascentes, afirma Fossá

Cleiton Fossá | Vereador Chapecó – No Brasil, a catástrofe ambiental que ganhou espaço nos jornais do mundo todo, é conhecida como a “tragédia de Mariana”. Foram nas ruínas de Bento...

Chapecó – No Brasil, a catástrofe ambiental que ganhou espaço nos jornais do mundo todo, é conhecida como a “tragédia de Mariana”. Foram nas ruínas de Bento Rodrigues, município de Mariana em Minas Gerais (MG), que 19 pessoas morreram devido o rompimento da Barragem de Fundão, da mineradora Samarco José. O desastre ocorreu em cinco de novembro de 2015, mesmo passado mais de dois anos, a água da bacia do Rio Doce continua imprópria para consumo e quaisquer atividades, como produção agrícola por exemplo.

De acordo com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), em três semanas do ocorrido, foram encontrados cerca de 870 animais mortos, assim como três toneladas de peixes foram recolhidos. Este é a maior tragédia ambiental registrada no Brasil. Logo, serve como alerta para que os municípios elaborem mais projetos e reforcem a importância do cuidado para com o meio ambiente.

Um bom exemplo de precaução é a Lei 8.524/2007. Quinta-feira (21), o estado do Espírito Santo comemorou 11 anos da lei “Adote uma nascente”, que planeja, por meio de programas, ações para recuperar as nascentes de rios. O Programa Reflorestar trabalha para fazer valer a lei. Os propósitos seguem a mesma linha, o Reflorestar busca restaurar o ciclo hidrológico e recuperar e conservar a vegetação nativa.

O município de Chapecó ainda precisa avançar quando se trata de iniciativas de conscientização, programas e medidas para o uso consciente da água dos rios. Constantemente o mandato do vereador Cleiton Fossá recebe denúncias sobre poluição de riachos, córregos e nascentes, em sua grande maioria, a causa é o despejo da rede de esgoto nestes locais. Neste sentido, os moradores do bairro Vila Rica compreendem e sentem na pele. “Faz mais de dez anos que estamos passando por esse problema aqui, e não temos uma resposta”, ressaltou o morador Elodir Chagas.

Neste caso, um tanque de armazenamento, que deveria contribuir para o tratamento de esgoto do bairro, está transbordando. Além de um problema de saúde pública, causado pelo mau cheiro da água e também por doenças de ratos e mosquitos, o saneamento do bairro agride o meio ambiente. O riacho, que corre ao lado do local que foi construído o tanque, desemboca no Lajeado São José, que é a principal fonte de abastecimento de água do município, e está contaminado com resíduos e com o esgoto que transborda do depósito e cai na água.

A falta de projetos para conservar rios e nascentes, e também incentivar a preservação, demonstra o descaso do município para com a população e o meio ambiente, que necessitam de atenção para que não haja problemas de saúde e não resultem em catástrofes ambientais. Segundo a European Environment Agency (EEA), a superfície do planeta é coberta por cerca de 70% de água dos oceanos. Todavia, aproximadamente 3% da água do mundo é doce, que corresponde a água dos rios e lagos por exemplo.

A Lei 9.605/1998, de 12 de fevereiro de 1998 salienta que todas as atividades lesivas ao meio ambiente são consideradas crime, ou seja, qualquer ação que possa causar a morte dos animais, destruição da flora e/ou riscos à saúde humana. “O Brasil tem cerca de 12% da reserva total de água do mundo, nosso país é privilegiado neste sentido, a preocupação deve ser dobrada. Precisamos preservar nossos rios e nascentes, e também ajudar a fiscalizar. O município precisa assegurar a saúde e desenvolver medidas que colaborem com o meio ambiente”, conclui o vereador Cleiton Fossá.

 

Alessandra Favretto, Assessoria de Comunicação Cleiton Fossá

Veja também

Brasil não possui casos de reinfecção por Covid-1927/08        O Diretor do Departamento de Análise em Saúde e Vigilância de Doenças Não Transmissíveis, Eduardo Macário, esclareceu que, até o momento, o Brasil não possui casos confirmados de reinfecção pela Covid-19. O anúncio foi realizado durante coletiva de imprensa realizada pelo Ministério da Saúde na......
Fossá avalia dois primeiros anos de mandato22/12/14 Chapecó - Encerrando o segundo ano de mandato como vereador em Chapecó, Cleiton Fossá promoveu debate em áreas que impactam diretamente na vida dos cidadãos chapecoenses, buscando resolver problemas cotidianos. Dentro das prerrogativas de vereador, temas como......

Voltar para NOTÍCIAS