Postado em 27 de Junho de 2014 às 19h26

Projeto na área da habitação também é rejeitado

Vereador (224)Transparência (7)Projeto (23)Habitação (4)Cleiton Fossá (314)Chapecó (304)Câmara (84)
Chapecó - Mais um projeto de autoria do vereador Cleiton Fossá acabou rejeitado pela base governista na Câmara de Vereadores de Chapecó. Desta vez, a iniciativa era na área da habitação. O projeto 005/14 previa a divulgação da lista de espera dos cidadãos cadastrados para acessar programas habitacionais. Conforme Fossá, isso evitaria 'fura-fila', ou seja, que pessoas sejam colocadas na frente das outras. O vereador ressalta que a população chapecoense tem direito de saber em qual posição está, até como forma de saber se será logo contemplada com a casa própria. Além disso, com a lista de espera pública, seria mais difícil que pessoas sejam colocadas à frente na lista. 'O projeto visava dar mais transparência também na área da habitação, mas, mais uma vez, a base governista prefere fechar os olhos', diz. Transparência Outros projetos de Fossá que buscavam maior transparência na gestão pública também foram rejeitados ou arquivados. O projeto de lei 003/14, que tratava sobre a divulgação das listagens de pacientes que aguardam por consultas com médicos especialistas, exames e cirurgias na rede pública de Chapecó; e o projeto 040/14, que regulamentava os estágios na rede pública municipal de educação, foram rejeitados. Já o projeto 004/14, que dispunha sobre a obrigatoriedade da divulgação da planilha de custo dos serviços públicos de Chapecó prestados por concessionárias, permissionárias e contratadas; e o projeto 006/14, que versava sobre a disponibilização de comprovação de agendamentos de consultas, cirurgias e exames em geral aos usuários do sistema municipal de saúde de Chapecó, foram arquivados.

Veja também

Vereador critica ausência da prefeitura em reuniões10/08/15 Chapecó - O vereador Cleiton Fossá aproveitou o recesso parlamentar de julho para visitar a comunidade e promover encontros em bairros de Chapecó. As reuniões de trabalho foram aprovadas pelo plenário da Câmara, ou seja, deixaram de ser um encontro do vereador, mas uma reunião do poder legislativo. 'Foi uma falta de respeito com o poder legislativo, e pior, uma falta de respeito com os moradores que foram às......

Voltar para NOTÍCIAS