Postado em 19 de Agosto de 2020 às 14h56

Cleiton Fossá incentiva Política Pública Cultural e debate situação dos artistas no município


       Receber os aplausos do público, o afeto e o reconhecimento pela dedicação. Artistas de Chapecó estão impedidos de vivenciar esses momentos desde o início da pandemia. Para debater Política Pública Cultural em Chapecó, ações efetivas no cenário pós-pandemia, Lei Aldir Blanc e a realidade dos artistas locais e regionais, o Vereador Cleiton Fossá promoveu uma live na noite de terça-feira (18) com Augusto Zeiser e Clodoaldo Calai, referências no âmbito artístico do município. 

       Os setores culturais criativos movimentam mais de 171 bilhões de reais por ano, equivalente a 2,61% de toda riqueza nacional. "Muitos acreditam que o setor cultural não movimenta o país, o estado ou município porque os números nunca são falados. Entretanto, existe um orçamento para a cultura e o setor cultural foi um dos mais afetados", pontuou Fossá. 

       Fossá também explanou sobre a Lei Aldir Blanc (nº 14.017), criada em junho deste ano com o intuito de oportunizar uma renda emergencial para os trabalhadores da Cultura. A Lei também prevê manutenção dos espaços culturais e deve ser apresentada ao legislativo chapecoense nos próximos dias para ser regulamentada em Chapecó. 

       O Artista de Teatro, Diretor e Produtor Clodoaldo Calai, que também é Presidente do Conselho Municipal de Políticas Culturais de Chapecó explana sobre a Lei e o impacto que a pandemia causou aos artistas. "A Lei vem num momento muito importante porque os artistas foram os primeiros a parar e serão os últimos a voltar. Para quem trabalha com público, apresentações artísticas, com aglomeração de pessoas é um ano praticamente perdido.

       Alguns conseguiram manutenção pelas redes sociais, por outras mídias, mas não são todas as pessoas que trabalham com a cultura que se adequam a esse mecanismo", frisa Clodoaldo.

       Jornalista e Produtor Audiovisual Augusto Zeiser explanou sobre a paralisação no setor de eventos, de cinema e audiovisual no município. "O momento é muito difícil, delicado e estamos nos agarrando nos editais. Em um levantamento prévio, o setor de audiovisual movimentou cerca de um milhão de impostos para o município no ano passado.

       Todo investimento em cultura, retorna ao município, temos artistas de Chapecó que viajam o país inteiro e precisamos desse apoio", enfatizou Zeiser. 

       Os desafios da cultura não são só do futuro, são do presente. O Vereador explica que muitos profissionais entraram em contato com o mandato para efetivar a Lei e receberem apoio. "O cenário pós-pandemia vai exigir muita maturidade dos gestores públicos e dos políticos. Será necessário inovar e vamos apresentar um plano de recuperação para todos os setores, principalmente o cultural", destaca.

Participe, apresente sua demanda ao vereador e fique por dentro da atuação do mandato por meio das nossas redes sociais: Facebook - Instagram e nosso WhatssApp.



Assessoria de Comunicação Vereador Cleiton Fossá

Veja também

HRO perde filantropia e autoridades buscam reverter decisão08/02/17 Brasília - Vereador Cleiton Fossá, juntamente com o deputado federal Valdir Colatto e o assessor jurídico do Hospital Regional do Oeste (HRO) de Chapecó, Paulo Winckler, estiveram em audiência em Brasília, na tarde desta terça-feira, dia 7, para buscar reverter o indeferimento da Certificação das Entidades Beneficentes de Assistência Social na Área de Saúde. O indeferimento ocorreu devido à ausência de informações......

Voltar para NOTÍCIAS