Postado em 02 de Julho de 2018 às 14h11

Coleta de esgoto de Chapecó: saiba como funciona e o que deve melhorar

Cleiton Fossá | Vereador Chapecó – No dia 5 de janeiro de 2007 foi editada a Lei Federal 11.445/2007, que trata do saneamento básico no País, com uma série de novidades e exigências a todos estados e...

Chapecó – No dia 5 de janeiro de 2007 foi editada a Lei Federal 11.445/2007, que trata do saneamento básico no País, com uma série de novidades e exigências a todos estados e municípios. A legislação estabelece as diretrizes para o saneamento básico em todo o Brasil e engloba os serviços de abastecimento de água, esgotamento sanitário, limpeza urbana, manejo de resíduos sólidos, drenagem e manejo de águas pluviais urbanas. Ou seja, água, esgoto, lixo e drenagem. Porém, será que o saneamento básico avançou em Santa Catarina e, principalmente, em Chapecó?

Em todo o Brasil, apenas 30% dos municípios têm o Plano Municipal de Saneamento, que traz diretrizes para prestação de serviços públicos na área. Santa Catarina é o Estado com o maior percentual de cidades: 253 dos 295 municípios já fizeram o documento, o que corresponde a 86%. Porém, quando o assunto é coleta de esgoto, SC está atrás. Apenas 24,77% dos catarinenses têm o serviço, enquanto a média nacional é 30%, fazendo que o Estado fique na 18ª posição no ranking nacional. Os dados são do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS).

A Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Chapecó foi entregue pela Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan) em março de 2006, em um investimento de R$ 42,6 milhões. A ETE fica localizada no bairro Santo Antônio e foi a primeira etapa de implantação do Sistema de Esgotamento Sanitário. A segunda etapa foi concluída em 2015, com a expansão dos serviços para o bairro São Cristóvão, em um investimento de R$ 9,3 milhões. Foram implantados 32,2 quilômetros de rede, com três bombas elevatórias, interligando mais 1.547 domicílios ao sistema central.

Ampliação

Com a ampliação, a cobertura da coleta e tratamento do esgoto sanitário atingiu 42% na área urbana de Chapecó, beneficiando aproximadamente 80 mil pessoas. Atualmente, está em construção a terceira etapa de ampliação, no bairro Efapi, orçada em R$ 18 milhões. A obra prevê 43,2 mil quilômetros em tubulação, com esgoto coletado em 2.124 ligações domiciliares, abrangendo 10 mil pessoas. O esgoto será levado até uma das três estações elevatórias que serão construídas e tratado na ETE. Quando estiver concluída, a expectativa é que 48% da área urbana estejam ligadas à rede.

O processo

Atualmente, a Estação de Tratamento de Esgoto tem capacidade de processar 130 litros por segundo, recebendo 11 milhões de litros por dia. Na primeira etapa, o esgoto passa por grades, que seguram sujeiras, lixos e galhos. Depois, vai para uma caixa de areia, que retém os sólidos. Após isso, o material recebe as bactérias que vão se alimentar dos resíduos e limpar a água. Na segunda etapa, o movimento da água faz o esgoto receber oxigênio, ambiente propício para que as bactérias se reproduzam. A terceira etapa é de decantação, processo no qual a água é separada do lodo.

Nenhum produto químico é utilizado em todo o tratamento. Cerca de 20% do lodo é descartado para o aterro sanitário de Chapecó e o restante, junto com as bactérias, volta para o sistema, para fazer o tratamento de mais esgoto. Após as três etapas, a água não pode ser consumida por humanos, mas está em condições para retornar à natureza, indo para o rio Passo dos Índios. “Saneamento básico é pré-requisito para qualidade de vida e o tratamento de esgoto está inserido neste contexto, ainda mais levando em consideração que diminui a incidência de doenças, além de proteger nosso mananciais e rios”, diz o vereador Cleiton Fossá.

A cobrança da tarifa

Embora reconheça a ampliação do sistema, Cleiton Fossá discorda da cobrança da tarifa de coleta de esgoto de moradores que não recebem o serviço. Atualmente, a tarifa residencial de água é R$ 42,19 até o consumo de 10 m³, sendo aplicado o mesmo valor para a tarifa de esgoto, mesmo em locais que não estão conectados ao sistema. “É injusto que o consumidor pague por um serviço que não é ofertado. Além disso, a tarifa de esgoto não pode ser o mesmo valor da água, uma vez que o processo de tratamento é muito mais simples e, consequentemente, barato”, defende o vereador.

Proposta

Levando em consideração a Norma Técnica NBR 9649, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), que estabelece em 80% o volume de água que retorna à rede coletora pública, Cleiton Fossá defende a revisão do valor da tarifa de esgoto. “Já que é impossível o retorno total da água consumida como esgoto, a tarifa precisa ser revista”. Além disso, o vereador quer o fim da tarifa mínima de água. “Defendo que a tarifa de água e de esgoto seja calculada com base no consumo real de cada consumidor. A população deve pagar somente pelo que consome”, fala.

Iniciativa

Em julho de 2015, quando o Poder Legislativo autorizou a renovação do contrato de concessão com a Casan por mais 20 anos, Cleiton Fossá apresentou emenda ao projeto de lei 089/15. O vereador apresentou proposta que acabava com a tarifa mínima de água e estabelecendo que a cobrança da tarifa de esgoto não poderia exceder a 20% do consumo de água. “Os vereadores da base governista rejeitaram esta proposta, que garantia maior justiça nos valores cobrados da população. Por isso, votei contra a renovação da concessão”, finaliza Fossá.

 

Bruno Pace Dori, Assessoria de Comunicação Cleiton Fossá

Veja também

Fossá avalia dois primeiros anos de mandato22/12/14 Chapecó - Encerrando o segundo ano de mandato como vereador em Chapecó, Cleiton Fossá promoveu debate em áreas que impactam diretamente na vida dos cidadãos chapecoenses, buscando resolver problemas cotidianos. Dentro das prerrogativas de vereador, temas como saúde, educação, segurança pública, inovação tecnológica, ética e transparência pública foram áreas de forte atuação nesta primeira metade de legislatura e......
Cleiton Fossá defende mudanças no Transporte Coletivo23/07/18 Chapecó – Foi realizada na manhã desta segunda-feira, dia 23, no Centro de Cultura e Eventos, a Audiência Pública de apresentação do novo edital do Transporte Público Coletivo de Chapecó. O vereador......

Voltar para NOTÍCIAS