Postado em 08 de Setembro de 2020 às 18h05

Setembro Amarelo: Campanha busca orientar e prevenir contra o suicídio

       Dezessete em cada 100 brasileiros já pensaram em tirar a própria vida. Os dados são da Associação Brasileira de Psiquiatria - ABP, que, em parceria com o Conselho Federal de Medicina - CFM, organiza nacionalmente o Setembro Amarelo. A campanha tem como objetivo a orientação para prevenir o suicídio. 

       A próxima quinta-feira (10) é assinalada como o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio e ainda vive-se uma situação crítica com 12 mil suicídios todos os anos no Brasil e mais de um milhão no mundo. Entre as principais causas, quase 97% estão relacionados a transtornos mentais como depressão, transtorno bipolar e abuso de substâncias.

       Outra informação está relacionada ao gênero e ao número de óbitos em torno de três vezes maior entre os homens do que entre as mulheres. A página oficial da campanha destaca que isso ocorre devido a um reforço a supostos "papeis masculinos" relacionados à força e independência que, muitas vezes, impedem os homens de procurar ajuda e falar sobre os pensamentos suicidas.

       Alguns mitos sobre o suicídio contribuem para a formação de um estigma que impede que as pessoas debatam sobre o tema. Um deles é que as pessoas que ameaçam se matar, de fato, não fariam isso e estão querendo somente "chamar atenção".

       Para desmistificar esse ponto, a cartilha da campanha informa que as pessoas que tem pensamentos suicidas, na maioria das vezes, expressam seus sentimentos e desejos de tirar própria vida. Caso alguém ouça esses relatos ou sentimentos, pode agir de forma empática e encaminhar a pessoa para um profissional especializado.

       Não falar sobre suicídio e impedir que a mídia aborde sobre o tema. Esses são dois outros mitos que não contribuem com a conscientização. Segundo as explicações da campanha, é fundamental falar sobre o assunto para aliviar a angústia e indicar possíveis soluções para quem passa pelo problema.

       A mídia se configura como um importante canal de divulgação de informações à população sobre o problema e como encontrar ajuda qualificada.

       Entre os jovens, o suicídio é a terceira principal causa de morte, agravada por humor depressivo, abuso de substâncias, problemas emocionais, familiares e sociais, história familiar de transtorno psiquiátrico, rejeição familiar, abuso físico e sexual na infância.

       Entre os idosos também é acentuado por fatores como perda de parentes, sobretudo de cônjuge, solidão, existência de enfermidades degenerativas e dolorosas e sensação de estar dando muito trabalho à família.

       A OMS aponta três comportamentos como ambivalência, impulsividade e rigidez como características psicopatológicas comuns no estado mental dos suicidas. Existe uma confusão entre desejo de viver e morrer no sujeito.

          Existe uma urgência para sair do sofrimento e se livrar da dor por meio da morte.

    Comportamentos impulsivos, enxergar somente a morte como solução e não ter perspectivas aumentam a gravidade da situação bem como fatores de risco como tentativa prévia de suicídio, doença mental, desesperança, desespero, desamparo, impulsividade, doenças clínicas não psiquiátricas, eventos adversos na infância e na adolescência, histórico familiar e genéticoe fatores sociais.


O que você pode fazer?


       Ao identificar esses comportamentos, as pessoas podem agir com empatia e buscar encaminhar aqueles que apresentam os sintomas para profissionais de saúde qualificados para atender e auxiliar as pessoas com pensamentos suicidas.

       Recomenda-se a organização de mobilizações tanto para pessoas quanto para empresas com foco na prevenção e orientação sobre como buscar ajuda e sobre as doenças mentais.

       Para a realização das campanhas, utilização de logos do Setembro Amarelo e informações adicionais sobre prevenção e orientação, consulte: https://www.setembroamarelo.com/

Participe, apresente sua demanda ao vereador e fique por dentro da atuação do mandato por meio das nossas redes sociais: Facebook - Instagram e nosso WhatssApp.

 

 

Assessoria de Comunicação Vereador Cleiton Fossá

Veja também

Vagas em escolas geram reclamações26/11/15 Chapecó - O vereador Cleiton Fossá recebeu nos últimos dias diversas queixas a respeito das rematrículas nos Centros de Educação Infantil Municipal (CEIMs) e nas Escolas Básicas Municipais (EBMs) de Chapecó. As informações dos pais é de que muitos estudantes da rede municipal de ensino público não conseguiram rematrícula na mesma escola ou creche ou no mesmo turno que frequentavam. Fossá explica que as rematrículas......
Desafios da educação em tempos de pandemia12/08/20        Com a pandemia da Covid-19, as aulas da rede básica e superior de ensino foram suspensas e o retorno presencial segue sendo postergado até a aplicação de uma vacina que imunize as pessoas. A rotina de......

Voltar para NOTÍCIAS