Postado em 08 de Janeiro de 2014 às 19h47

Comissão de Segurança Pública apresenta números alarmantes

Segurança Pública (12)Cleiton Fossá (314)Chapecó (304)Câmara (84)
Chapecó - O presidente da Comissão de Segurança Pública da Câmara de Vereadores de Chapecó, Cleiton Fossá, apresentou na tarde de ontem (8) o número de efetivo policial civil e militar no município, bem como realizou encaminhamentos visando diminuir a violência em Chapecó e no Estado. O presidente da Câmara, Marcio Sander, também participou do encontro. O crescente aumento da violência em Chapecó e ainda o baixo número de policiais civis e militares na cidade motivaram a Comissão a se reunir. Com 198.188 habitantes (estimativa de 2013 do IBGE), Chapecó registrou 44 homicídios no ano passado, o que representa o terceiro número no Estado e o primeiro em média por habitante. Conforme dados encaminhados pela Secretaria de Estado da Segurança Pública à Comissão, Santa Catarina tem 11.400 policiais militares e 3.600 policiais civis, sendo que em Chapecó são 287 militares e 90 civis. Isso representa um policial militar para cada 690 habitante e um policial civil para cada 2.202 habitante em Chapecó. Encaminhamentos Fossá propôs dois encaminhamentos. O primeiro é apresentar uma moção de apelo para que o Governo do Estado valorize e crie concurso público para aumentar o efetivo policial civil e militar em Santa Catarina. Cópias da moção serão encaminhadas para todas as Câmaras de Vereadores do Estado. Outra iniciativa prevê que o Estado realize um estudo urgente, fixando o efetivo policial com o crescimento populacional através Lei, a qual deverá ser apreciada pela Alesc. 'Se a população cresce, o efetivo policial deve aumentar na mesma proporção'.

Veja também

Saiba mais sobre o Projeto 194/1425/06/15 Chapecó - O Projeto de Resolução 194/14, de autoria do vereador Cleiton Fossá, propõe a realização de audiências públicas para discutir o orçamento de Chapecó. Se a mudança for aprovada, as audiências públicas serão realizadas nos bairros e comunidades e em setores produtivos, como indústria, comércio e serviços. Deste modo, a população poderá participar e ajudar a decidir como os impostos devem ser aplicados,......

Voltar para NOTÍCIAS